A gestão de uma empresa se divide em várias vertentes e uma delas é o planejamento tributário. Trata-se de uma forma lícita de reduzir impostos, por meio de estudos e estratégias permitidas por lei e que reduzem, significativamente, a carga fiscal do negócio.

Apesar de ser um dos grandes objetivos das empresas contemporâneas, o corte de gastos não pode ser concretizado com sonegação de tributos. Isso porque, a evasão fiscal é crime e possui uma pena prevista de seis meses a dois anos, além de multa de duas a cinco vezes o valor do tributo.

Neste post, falaremos sobre a importância de montar um bom modelo de gestão de impostos, quais são os tipos dessa prática e como você pode implementá-la. Acompanhe!

Qual a importância do planejamento tributário?

O planejamento tributário, quando bem executado, pode trazer vários benefícios aos negócios. Ignorar essa estratégia empresarial é um erro que não se pode cometer, especialmente no Brasil — um dos países com a maior carga tributária do mundo.

Segundo a pesquisa da OECD (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), nosso país tem a carga tributária mais elevada da América Latina e está entre as nações que mais cobram impostos no mundo.

Desse modo, caso não exista uma organização e planejamento tributário, as altas taxas farão com que os gastos se ampliem e comprometam a competitividade do empreendimento. Isso porque, a necessidade de elevar o valor do produto afasta a clientela.

Com uma gestão tributária eficiente, o negócio pode evitar a incidência de um tributo incida, reduzir legalmente os valores a serem recolhidos e, até mesmo, adiar o seu pagamento. Todos esses fatores contribuem para que o dinheiro da empresa seja melhor investido, além de torná-la mais competitiva no mercado.

Quais os tipos de planejamento tributário?

De início, cabe ressaltar que essa estratégia não se destina apenas às grandes corporações. Pelo contrário, as pequenas e médias empresas, também, podem se beneficiar com esses estudos, ampliando suas chances de crescer e se destacar no mercado.

Por isso, explicaremos, a seguir, os principais tipos de planejamento tributário, bem como a utilidade de cada um deles. Confira!

Planejamento Tributário Estratégico

Esse modelo se relaciona com a definição de algumas estratégias da empresa, como contratação de pessoal, terceirização de alguns serviços e localização geográfica.

Via de regra, o Planejamento Estratégico é feito pensando em longo prazo, em um período de 5 a 10 anos. Quando for traçá-lo, analise o cenário externo, conheça as necessidades e a situação da empresa. Lembrando que o panorama da economia mundial e local, também, afetam o mercado em que o empreendimento atua.

Planejamento Tributário Operacional

Esse método se pauta pelas normas e procedimentos definidos. Em geral, ele pode focar na maneira com que as atividades são tributadas ou na forma de contabilizar algo.

Por terem uma série de padrões já definidos, muitos deles baseados no cumprimento das leis, o Planejamento Operacional é pensado em curto prazo, ou seja, em períodos que variam de três a seis meses.

Planejamento Tributário Preventivo

Ele é pautado pelas orientações e procedimentos, principalmente nas atividades que envolvem o cumprimento das obrigações principais e acessórias.

É comum que seja executado ao final de cada ano, objetivando definir as ações que serão implementadas no próximo período, prevenir problemas relacionados ao fisco e tentar diminuir o pagamento de tributos.

Nessa estratégia, observa-se as formas de tributação (Simples Nacional, Lucro Real e Lucro Presumido) e, por meio das simulações, identifica-se os benefícios fiscais existentes para cada ramo de atuação e a chance de evitar o pagamento de algumas taxas.

Planejamento Tributário Corretivo

Esse tipo de planejamento é utilizado quando se percebe alguma anormalidade. Desse modo, é realizado um estudo completo das inúmeras possibilidades que podem contribuir para a correção dos erros.

Pelas suas características, é possível dizer que tal modelo ajuda a diminuir a exposição ao fisco, e consequentemente, evitar problemas. Afinal, nenhuma empresa gosta de enfrentar processos e fiscalizações.

Nesse método, são feitas revisões fiscais — operacionais ou automatizadas — para descobrir os erros e corrigi-los. Essa verificação pode ser feita diariamente, mensalmente ou semestralmente, o que varia conforme a necessidade do negócio.

Planejamento Tributário Especial

Essa metodologia é ativada quando acontece algum fato que interfere diretamente na administração da empresa, como a abertura de uma filial, a divulgação de novos produtos e a fusão e incorporação de corporações

A forma de aplicação desse método é individualizada e depende das necessidades de cada negócio.

Como implementar o planejamento tributário?

São necessários vários conhecimentos antes de ativar um modelo tributário. É essencial entender as leis vigentes, a fisiologia da empresa e elaborar um plano prevendo os diversos cenários que podem ocorrer durante a jornada.

Abaixo, separamos algumas dicas que o ajudarão com essa tarefa. Confira!

Conheça a sua empresa

O primeiro passo para um planejamento tributário eficiente do plano é conhecer as necessidades do seu empreendimento, a estrutura administrativa, o funcionamento das finanças e os detalhes operacionais. Essa fase de coleta de dados é essencial para garantir que os próximos passos sejam bem executados.

Para isso, comece a definir os objetivos da empresa, as pessoas que serão responsáveis por cada departamento e o orçamento disponível. Além disso, é muito importante conhecer quais serão os impostos pagos e evitar surpresas ao final do mês.

Conheça as leis

É essencial que o empreendedor e os gestores tenham conhecimentos em Direito Tributário, Contabilidade Tributária e claro, saibam executar o planejamento tributário. Isso facilita a tomada de decisão e garante sempre a melhor estratégia para o negócio.

Estude sobre os regimes tributários

Após conhecer as normas e entender os detalhes contábeis, é importante compreender o funcionamento do Simples Nacional, do Lucro Real e do Lucro Presumido. Saiba como os tributos são calculados em cada regime e, somente depois, escolha o mais interessante para sua empresa.

Para isso, uma excelente estratégia é a realização de simulações. Elas facilitam a visualização do pagamento de impostos e auxiliam na definição do melhor regime tributário para o negócio.

Saiba quais são os planos da empresa

Por último, é fundamental compreender as expectativas de curto, médio e longo prazo do negócio. Existe alguma estratégia de fusão ou de expansão? Há alguma projeção para o orçamento? Essas perguntas vão ajudá-lo a criar um modelo que se adapte ao que o empreendimento precisa.

Destaca-se a importância de se estabelecer os objetivos da empresa desde o começo. Porém, é interessante observar que eles podem ser alterados durante o caminho, a depender de suas necessidades e estratégias de mercado.

Após concluir a leitura do post, você é capaz de realizar um bom planejamento tributário para sua empresa? Conforme visto, essa é uma estratégia essencial para a sobrevivência dos negócios e deve ser executada com atenção e muita dedicação. Por isso, comece a colocar em prática o que aprendeu.

Os conselhos apresentados neste post foram úteis? Confira mais um material do nosso blog e descubra como aumentar a produtividade do seu escritório contábil e otimizar ainda mais a gestão da empresa!