Fique por dentro das alterações mais importantes na Economia Brasileira

 

Todo início de ano aguardamos por algumas mudanças no setor econômico do Brasil. Seja aumento ou diminuição de impostos, a conta de energia elétrica, salário mínimo...trazemos então um balanço das mudanças mais importantes que já entram em vigor agora mesmo, no mês de Janeiro:

Salário Mínimo

Houve um singelo aumento de 17 reais (o menor aumento registrado em 24 anos), deixando o salário em 954 reais. A medida foi tomada de acordo com a variação do PIB e da Inflação. Como o reajuste ficou abaixo da estimativa anterior (que era de 965 reais), o governo deve economizar cerca de R$ 3,3 bilhões em gastos este ano.

Alimentação

O índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) fechou o ano de 2017 com inflação de 3,23%. A taxa é menor que a de 2016. Nos meses de Novembro e Dezembro, houve uma pequena variação na taxa, que passou de 0,26% para 0,27%.

Vestuário e Cuidados Pessoais

O aumento na taxa de Vestuário foi significativo, passando de 0,01% para 0,11%, saúde e cuidados pessoais passou de 0,39% para 0,45% e recreação de 0,33% para 0,37%.

Bandeira Verde na conta de luz e Tarifa Branca

Neste mês, a cobrança de taxa extra, que era demonstrada através da bandeira vermelha, deixará de existir, devido ao aumento de chuvas e o aumento no nível do reservatório das hidrelétricas. Mas é importante manter o uso consciente da energia elétrica. Novidade: A Tarifa Branca, nova opção de tarifa que oferece a vantagem de pagar mais barato em horários de pico, acaso o consumidor diminua bastante o consumo da energia nesse mesmo horário. Ela é oferecida para as unidades consumidoras que são atendidas em baixa tensão (127, 220, 380 ou 440 Volts), denominadas de grupo B

Gasolina e Diesel

O reajuste será realizado hoje, quarta-feira, diminuindo o preço da gasolina para 0,1%, e aumentando o diesel, para 0,6%. O preço final ao consumidor, nas bombas, dependerá de cada empresa revendedora e dos próprios postos de combustíveis. O histórico das últimas variações praticadas pela Petrobrás está disponível na página da estatal.

Redução da Idade para saques do PIS/Pasep

A partir do dia 6 de janeiro, a idade mínima para o saque de cotas do PIS/Pasep passa a ser de 60 anos. Esta é a segunda vez que o governo reduz a idade para os saques.

CPF de dependentes a partir de 8 anos no IR

A Receita Federal passará a exigir CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) de pessoas a partir de 8 anos de idade declaradas como dependentes no Imposto de Renda. Esta ação evitará que a declaração caia na malha fina, possibilitando rapidez na sua restituição.

Novas regras para compra de produtos pela internet estão em vigor

Já está em vigor a Lei 13.543, que traz novas exigências para a disponibilização de informações sobre produtos em sites de comércio eletrônico. Pela norma, sancionada na semana passada pelo presidente Michel Temer, o preço dos produtos postos à venda nos sites têm de ser colocados à vista, de maneira ostensiva, junto à imagem dos artigos ou descrição dos serviços. Segundo a lei, as fontes devem ser legíveis e não inferiores ao tamanho 12.

A norma inclui essas exigências relativas às vendas online na Lei 10.962, de 2004, que disciplina as formas de afixação de preço de comerciantes e prestadores de serviços. Entre as obrigações gerais de empresas estão a cobrança de valor menor, se houver anúncio de dois preços diferentes, e a necessidade de informar de maneira clara ao consumidor eventuais descontos.

A Lei é um detalhamento do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078, de 1990), que também versa sobre requisitos a serem seguidos pelos vendedores, como a disponibilização de informações corretas e claras quanto aos produtos, incluindo preço e características.

Benefícios

O Ministério da Justiça argumenta que a lei será um importante instrumento para facilitar a busca de informações pelos consumidores nesse tipo de comércio. “Hoje em dia temos dificuldades de conseguir essas informações porque há produtos em sites ou plataformas sem preço. Isso já era vedado pelo Código de Defesa do Consumidor, e essa lei veio para deixar tais obrigações mais claras, garantindo o direito à informação de quem compra”, afirmou a diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do ministério, Ana Carolina Caram.

Para a supervisora do Procon de São Paulo, Patrícia Alvares Dias, a Lei é positiva. “Os consumidores estão tendo dificuldade, porque, em sites de comércio eletrônico, em geral, há as características do produto, mas dados sobre o preço não são apresentados com tanto destaque.”

Expansão

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), 25,5 milhões de pessoas fizeram compras pela internet no primeiro semestre deste ano. Apesar do número representativo, a entidade ressalta que as transações são concentradas nos dois principais centros urbanos do país: São Paulo foi responsável por 35,5% das vendas e o Rio de Janeiro, por 27,6%.

De acordo com a consultoria Ebit, o comércio eletrônico no Brasil no primeiro semestre do ano cresceu 7,5% em comparação com o mesmo período no ano anterior, com faturamento total de R$ 21 bilhões.

Reclamações

O consumidor que encontrar uma situação em que o preço do produto não está apresentado de maneira clara e em destaque, ou que a fonte seja menor do que o tamanho 12, deve acionar órgãos de proteção e defesa como os Procons, o Ministério Público e a Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça. Os sites que estiverem violando artigos da lei podem ser multados, ou até suspensos.

Fonte:  Governo Federal

Por que o mercado está precisando de profissionais de contabilidade?

Em meio à crise econômica, o analista contábil se transformou em um profissional central para as empresas brasileiras. No entanto, embora se trate de uma profissão bastante tradicional no Brasil, os contadores disponíveis no mercado de trabalho não possuem o perfil buscado pelas novas empresas e assessorias do ramo.

Ainda muito restritos à área operacional e com poucos conhecimentos de língua estrangeira, principalmente do inglês, o perfil tradicional do contador está se tornando obsoleto. As novas tecnologias de gestão com sistemas integrados que passaram a automatizar várias rotinas contábeis começam a prescindir do perfil operacional. E o progressivo processo de internacionalização das empresas e serviços no país, intensificado, em alguns setores, com a crise, tornam o conhecimento do inglês habilidade indispensável nessa profissão. Porém, atualmente, apenas 5% dos profissionais dessa área conseguem manter uma conversação nesse idioma.

A notícia boa é que sobram vagas para os que se propõem a inovar e a aprender uma segunda língua. O analista contábil, com conhecimentos de inglês, que se apresenta como criador de soluções e estratégias, certamente encontrará um posto no mercado de trabalho brasileiro. Essa é a conclusão a que podemos chegar ao darmos uma olhada nas profissões consideradas em alta em 2017 e nos próximos anos no país, de acordo com as consultorias Manpower Group, Michael Page, Page Personnel e Robert Half.

Diante dos novos desafios das empresas brasileiras, em tempos de crise, tais como a necessidade de corte de gastos e de aumento da produtividade, o analista contábil pode desempenhar um papel-chave no auxílio à tomada de decisões nessas áreas. O seu trabalho cotidiano envolve a análise e classificação de contas, fechamento de balanço e elaboração de relatórios para a diretoria e/ou para os investidores.

De maneira geral, a contabilidade acabou se tornando, nos dias de hoje, um importante instrumento e diferencial no mercado de trabalho mesmo para os que pretendem se direcionar para outros campos de atividades. Nesse sentido, além da profissão de analista contábil, os que possuem conhecimento nesse campo, também podem atuar em outras áreas igualmente consideradas em alta para os próximos anos, de acordo com as consultorias mencionadas acima. Esse profissional pode atuar, por exemplo, como analista de planejamento financeiro ou tributário.

Como planejador financeiro, os conhecimentos contábeis devem ser aliados a conhecimentos na área de finanças, pois esse profissional é o responsável por elaborar diagnósticos e propor soluções financeiras. Já o analista de planejamento tributário, central para o objetivo de redução de custos das empresas, é responsável por propor estratégias referentes à carga tributária a ser paga. Adicionalmente aos conhecimentos contábeis, esse profissional deve ser advogado com conhecimentos aprofundados em direito tributário.

Dessa forma, uma área que, durante bastante tempo, foi desprezada no interior da hierarquia das empresas, a contabilidade vem voltando a adquirir centralidade nos dias atuais. No entanto, atualmente, os conhecimentos de contabilidade devem ser mobilizados de maneira cada vez mais dinâmica e em sintonia com outros setores e objetivos das empresas, não sendo possível se dedicar apenas e integralmente a uma formação nessa área.

Fonte: Jornal Contábil

Simples Nacional: Mudanças em 2018

O programa passou por uma grande reformulação, podendo trazer diversos benefícios para os empresários. Por exemplo, para empresas que possuem o Regime Tributário como Lucro Presumido, poderão solicitar seu enquadramento no Simples Nacional. Veja mais mudanças a seguir:

* O Simples Nacional agora irá contar com apenas cinco grupos de atividades, e com alíquotas de impostos bem distintas. Serviços médicos, design, empresas de tecnologia e outras terão carga tributária reduzida.

*Folha de Pagamento - Se for maior ou igual a 28% do faturamento, a empresa será encaixada no anexo III e possuirá uma alíquota de 6%. 

*Atacadistas de bebidas alcoólicas e pequenos produtores poderão optar pelo Simples Nacional, desde que sejam devidamente inscritos no Ministério da Agricultura.

* Faturamento - O aumento no teto de faturamento de R$3,6 milhões para R$4,8 milhões por ano possui duas vantagens: possibilita que quem já faz parte do Simples possa faturar mais sem medo de ser desenquadrado; e permite que empresas que faturam mais de R$3,6 milhões mas menos que R$4,8 milhões possam fazer parte do Supersimples.

 

Naturalmente, haverá aumento de fiscalização, por isso o empresário deverá ficar atento:  O novo Simples permite a troca de informações entre a Receita Federal, Estadual e Prefeituras, assim, qualquer desencontro de dados acende um alerta para as chances de fiscalização crescerem. O ideal é manter as movimentações financeiras da empresa em dia, e também as obrigações com o governo. 

Reduzindo a carga tributária na sua empresa - Escolha o tipo certo!

A hora de escolher o tipo de carga tributária que a empresa irá optar é uma das partes mais importantes durante a criação de um negócio. É super importante que um profissional qualificado esteja a par de tudo, pois é ele quem irá analisar os custos e simular o melhor regime para que sua empresa reduza custos com os tributos. 

Veja as vantagens e desvantagens de cada regime tributário, e conheça um pouco mais sobre os quatro!

 

Lucro presumido

As empresas poderão optar por esta carga tributária acaso seu faturamento não seja superior a 78 milhões.  A margem de lucro é específica, com suas alíquotas de acordo com o ramo de atividade. Se o lucro for maior do que o presumido pela legislação, ela poderá ser vantajosa para a empresa. Também terá que ser considerado o efeito do PIS e COFINS, pois nesse regime a empresa terá o recolhimento desses impostos pela cumulatividade, com alíquotas menores, mas sem os créditos das compras.

 

Lucro Real

Se a empresa possui faturamento superior a 78 milhões e é voltada para o setor financeiro, a melhor opção é o Lucro Real. o Imposto de Renda e a contribuição social sobre o lucro são determinados a partir do lucro contábil, apurado pela pessoa jurídica e acrescido de ajustes positivos e negativos requeridos pela legislação fiscal. O PIS e COFINS, são determinados (com exceções específicas) através do regime não cumulativo, creditando-se valores de aquisições realizadas de acordo com os parâmetros e limites legais. Neste caso, é aconselhável a empresa possuir um bom acompanhamento de um escritório contábil.

 

Lucro Arbitrado

O Lucro Arbitrado é aplicado pelo Fisco quando a empresa possui uma escrituração imprestável. Neste caso, não é opção, e a tributação é feita de forma arbitrária.

 

Simples Nacional

Este regime oferece alíquotas menores, simplicidade da agenda tributária e não pagamento da quota patronal. Ideal para empresas que possuem receita bruta anual de até 3.600.00,00 e 4.800.000,00 para o ano de 2018. Se o faturamento for menor de 600.000,00, a empresa poderá optar pelo Super Simples.  Para o ano que vem, algumas alíquotas foram majoradas e outras reduzidas, com isso a necessidade de análise da continuidade desse regime ou não, pelas empresas já optantes.

 

Atualizações da NFe 4.0

 

A partir do dia 02 de Abril de 2018, a NF-e sofrerá diversas mudanças em seu Layout. A versão anterior, a 3,0, será desativada.
O preenchimento incorreto da NF-e gerará rejeição da nota e isso poderá causar problemas futuros para a empresa. Fique atento as alterações na hora do preenchimento da nota!

Veja as alterações mais importantes:


Exclusão do Campo clEnq (id:O02) “Classe de enquadramento do IPI para Cigarros e Bebidas”;

Alteração da coluna Observação dos campos cSelo (id:O04) “Código do selo de controle IPI” e cEnq (id:O06)“Código de Enquadramento Legal do IPI”.

Alteração das regras de validação N17b-10, N23b-10, N27b-10 e N23d-10.

Regra de validação N27d-10 para implementação futura.

Inclusão das regras de validação N17b-20, N23b-20 e N27b-20 que impedem que seja informado zero como percentual de FCP ou FCP ST. Os campos relativos ao Fundo de Combate à Pobreza só devem ser informados se o produto estiver sujeito a incidência do mesmo.

Regra de validação YA02-30 substituída pela regra de validação Y07-10.

Regra de validação YA03-10 não se aplica a nota fiscal com finalidade de Ajuste e de Devolução.

Fonte: Portal da Nota Fiscal Eletrônica

Com o EMISSOR SIEG, fica mais fácil preencher a Nota Fiscal sem erros. Nosso sistema está atualizado e devidamente adaptado as novas mudanças da NF-e 4.0. Clique Aqui e fale conosco!