Consultando e baixando as NFS-es com o NF-e SIEG

Você sabia que o usuário dos sistemas NF-e SIEG/ Cofre SIEG podem baixar e armazenar as NFS-es com total segurança e praticidade? 

 Vamos precisar de sua ajuda para aprimorar essa nova funcionalidade, pois no Brasil o número de prefeituras é imenso e ainda não integramos todas elas, mas damos um passo inicial muito importante. Aproveite mais este benefício de nossas soluções e conte conosco sempre!

A seguir, veja as tabelas dos portais das NFS-e e a lista de cidades com suporte a NFS-e atualmente em nosso sistema. É cliente e seu município não está na lista? Avisa pra gente! Faremos o máximo para incluí-los nas demais atualizações do software.

Clique aqui para visualizar todas as tabelas!

Não é cliente ainda? Vem falar com a gente! Acesse o Chat Online, localizado na direita do nosso site, na parte inferior. Não esqueça de pedir um teste grátis!

Cinco dicas para turbinar seu Setor Fiscal

Planilhas, documentos fiscais, demonstrativos de resultados, contas a pagar e a receber, guias de impostos e uma infinidade de números. Esses elementos fazem parte do dia a dia do contador, o profissional que carrega a responsabilidade de estudar e gerenciar o patrimônio das empresas, cuidando de questões financeiras, tributárias e econômicas.

Como prova de sua importância, no dia 22 de setembro é celebrado, no Brasil, o Dia do Contador. Aproveitando a ocasião, Henrique Carmellino Filho, gerente comercial da SIEG, preparou 5 dicas essenciais para modernizar seu departamento contábil e facilitar a atribulada rotina desse profissional, tornando-a mais eficaz e dinâmica com a ajuda da tecnologia. Confira: 

1 – Automatize seus processos

A automatização surge como importante aliada nos processos que envolvem ações repetitivas (e cansativas). Com esse recurso, a digitação pode ser realizada uma única vez, com a baixa automática de NF-es e o cadastro de clientes e fornecedores reunidos em uma nota. Todo esse processo pode ser desenvolvido com total precisão e sem erros. Graças à automatização, o rendimento será muito maior.

2 – Prefira aplicativos WEB

Aplicativos WEB são totalmente acessíveis, além de seguros. Para acessá-los, é necessário apenas estar conectado à internet. Há a possibilidade de se conectar através de celular, tablet ou do próprio computador, de onde você estiver, o que é particularmente interessante se você possui uma rotina bastante corrida.

3 – Salve seus arquivos na nuvem

Salvar arquivos em locais seguros é imprescindível. Imagine ter documentos importantes de sua empresa extraviados por hackers ou simplesmente deletados. Uma solução interessante para essa questão é o armazenamento em nuvem (em inglês, “cloud computing”), que permite salvá-los em um espaço virtual. Lá, os documentos ficam a salvo, e só você poderá ter acesso através de login e senha.

4 – Utilize um sistema integrado

Adotar um sistema integrado proporciona maior organização e praticidade no gerenciamento de arquivos e documentos, além de economizar tempo e poupar esforços, pois elimina a necessidade de acessar diferentes sistemas diversas vezes ao dia.

5 – Organize!

Organização é uma das palavras-chave na hora de turbinar o setor fiscal. Utilize um sistema que te ajude a deixar tudo bem organizado, por exemplo, com notas fiscais salvas em pastas específicas, em locais onde você poderá encontrar com facilidade na hora de apresentar ao Fisco. Organize também os relatórios e demais planilhas. Em algum momento eles serão necessários e você saberá onde estarão.

Após realizar todos esses processos, você verá quanto tempo economizou. Assim, poderá empregá-lo em outros processos, além de reservar um pouco para si mesmo, melhorando, inclusive, sua qualidade de vida. Atento às mudanças do mercado e com melhor desempenho, seu escritório também estará pronto para atender maiores demandas com total segurança.

Contador: 5 dificuldades do dia a dia no escritório

A rotina de um escritório de contabilidade envolve um trabalho árduo na busca de informações junto aos clientes e no acompanhamento constante da legislação fiscal do país.

É preciso ter uma equipe preparada e sempre atenta às mudanças na legislação, para que seja possível fazer um atendimento eficiente aos clientes e evitar problemas com o Fisco.

São muitas as dificuldades enfrentadas no dia a dia pelos profissionais de contabilidade. Confira quais são os principais obstáculos.

 

1 – Erros na emissão de documentos 

Um dos principais problemas dos contadores começa já na origem, ou seja, na emissão do documento fiscal por parte do cliente. Como a legislação brasileira é muito ampla, é difícil que o profissional responsável pela emissão do documento fiscal tenha conhecimento de todos os detalhes necessários. Por conta disso, costumam ocorrer muitos erros nesta etapa inicial de emissão. “Isto impacta diretamente nas empresas de serviços contábeis, gerando inúmeros processos e procedimentos para a regularização destes erros”, afirma o presidente do Sescon Blumenau, Jefferson Pitz.

 2 – Informações incompletas e atrasadas  

A busca pela informação é outra grande dificuldade, pois muitos clientes não encaminham as informações de forma correta e dentro dos prazos. “Além de nem sempre buscarem o auxílio adequado dentro dos escritórios de contabilidade, fazendo com que as informações sejam geradas de forma incorreta, ainda há muita demora no repasse para o contador”, diz a contadora Karine Gresser, com a experiência de 10 anos em escritório contábil e consultora de negócios do sistema myrp.

3 – Integração dos dados   

A grande palavra do momento, segundo o presidente do Sescon, é INTEGRAÇÃO. “O que se precisa são ferramentas que facilitem a integração entre os mais diversos sistemas privados e públicos”, complementa Pitz. Ele salienta que com o acesso direto às informações, várias divergências que podem ocorrer numa interação, seja exportação ou importação de dados, diminuem sensivelmente, e ainda há ganho de tempo.

4 – Acesso ao cliente 

Para que o contador consiga ter os benefícios da integração de dados, é preciso que o cliente escolha uma ferramenta de gestão que possibilite ao escritório contábil o acesso aos dados da empresa. É importante que ele possa exportar XML, para fazer o fechamento contábil, agilizando o processo desses envios. Também deve ter acesso aos relatórios financeiros e SPED. “O fato dele ter acesso em tempo real faz com que consiga ajustar eventuais discordâncias nos dados antecipadamente, agilizando o processo no recebimento da informação”, comenta a contadora Karine Gresser.

 5 – Qualificação constante da equipe 

O presidente do Sescon acrescenta ainda que outro grande problema dos contadores é o enorme custo em preparar, qualificar pessoas para o exercício destas atividades relacionadas a área fiscal.  E para isso, o remédio é mesmo investir constantemente em treinamentos, para que os profissionais fiquem sempre atualizados em relação às novidades da legislação e possam orientar corretamente os clientes.

Fonte: Jornal Contábil

Um emissor de NFe que vai facilitar sua vida

Solução da SIEG agiliza processos e reduz tempo gasto com burocracia

Desde que a Secretaria da Fazenda anunciou que as Sefaz estaduais deixariam de atualizar o sistema emissor da NF-e (nota fiscal eletrônica), as empresas precisam buscar outras opções para emitir suas notas fiscais eletrônicas. A própria Secretaria recomenda o uso de alternativas para gerar notas, já que o programa não registra mais mudanças de regras na validação de NF-e. Isso gerou uma corrida por parte dos empreendedores e muitos ainda ficam com dúvidas sobre o que buscar em um emissor. Afinal, para que serve e o que ele agrega à rotina fiscal da organização?

No contexto atual, saem na frente os emissores de NF-e que oferecem todas as regras tributárias, facilitam o preenchimento de dados e atendem às necessidades das empresas. Esse é o caso, por exemplo, do emissor da SIEG. A companhia, que é um dos principais players do segmento de soluções fiscais na América Latina, com uma base de 35 mil empresas utilizando seus serviços, oferece um dos modelos mais completos de emissor.

Diferente do sistema que era disponibilizado pela Sefaz, que exigia que o usuário digitasse informações nota por nota, o que dificultava o trabalho em empresas com um volume elevado de notas, o Emissor SIEG cadastra dados para que seu uso seja otimizado. O sistema possibilita o cadastro de clientes, fornecedores, produtos e transportadores, para que o usuário não precise digitar os dados toda vez que for emitir uma nota.

Além disso, ele tem uma configuração de impostos que também facilita o trabalho. Esse é um trabalho complexo que, se feito nota a nota, gera uma grande consumo de tempo da equipe. O emissor, no entanto, faz um registro desses dados para que seja necessário incluí-los apenas uma vez.

Outro fator importante é que o emissor permita ao responsável financeiro da empresa enviar a NFe por e-mail ao cliente na hora em que ela for emitida. O da SIEG disponibiliza essa função e dá acesso a um painel em tempo real ao contador, que não precisará mais cobrar os XML das notas de saída. O emissor da SIEG, ao ser integrado ao Cofre SIEG, também permite o armazenamento seguro de todas as suas notas fiscais.

Para os contadores que atendem várias empresas ao mesmo tempo, a SIEG oferece soluções personalizadas, com planos especiais.

Para conhecer melhor os serviços da SIEG, acesse www.sieg.com

Por Simão Mairins 

Fonte: Administradores.com

            Portal Contábeis

 

Gestão automática de XMLs: quais os benefícios para a sua empresa?

A maioria dos clientes da Artdata Contábil já aderiu a solução de uma das nossas parceiras para gerenciamento automático e guarda em nuvem de arquivos XMLs e, além de automatizarem seus processos de envio dos arquivos das notas emitidas e/ou recebidas para o escritório, estão atendendo plenamente as exigências da legislação com relação ao prazo para armazenamento de tais arquivos digitais.

Listamos abaixo alguns dados e eventos observados ao longo desses primeiros meses de utilização da ferramenta para melhor demonstrarmos os benefícios:

- Aproximadamente 150.000 XMLs foram baixados automaticamente desde o início da implantação da ferramenta e encontram-se armazenados em nuvem. Se levarmos em consideração que no Estado de São Paulo (onde se localiza a maioria dos nossos clientes), a multa pela não escrituração fiscal de um único documento é de 10% do valor da operação, não podendo ser inferior a 70 UFESPs (aproximadamente R$ 1.650,00), todos os clientes da Artdata que aderiram a ferramenta evitaram conjuntamente uma multa por não escrituração que poderia atingir no mínimo R$ 247.500.000,00 (Não, você não leu errado! São quase duzentos e cinquenta milhões de reais!);

- Notas fiscais estavam sendo emitidas por fornecedores desconhecidos ou por fornecedores conhecidos, porém referente a aquisições que não foram realizadas pelas empresas. A tomada de conhecimento de tais notas fiscais por meio da ferramenta permitiu a manifestação eletrônica de desconhecimento da operação e/ou o cancelamento do documento fiscal após contato e esclarecimento entre as partes;

- Notas fiscais estavam sendo canceladas por fornecedores após a entrega da mercadoria sem o conhecimento dos clientes, num ato de má fé visando o não recolhimento dos tributos incidentes na operação. Vale dizer que a escrituração de um documento cancelado enseja a aplicação de multas;

- Notas fiscais estavam sendo emitidas por fornecedores desconhecidos utilizando nos campos do Transportador os dados de uma empresa e de um veículo vendido pela mesma há aproximadamente 2 anos;

- O feedback inicial dos nossos clientes que aderiram a ferramenta é o de que com a implantação em suas empresas, além dos benefícios com relação à segurança da informação e atendimento a legislação, ganharam em agilidade e produtividade, pois não precisam mais se preocupar e dispender tempo com o envio dos arquivos XMLs para o escritório, bem como tiveram suas rotinas fiscais facilitadas devido ao acesso simples e rápido a consultas, downloads, relatórios, etc., por meio do acesso via web. Alguns clientes inclusive relataram que puderam alocar o tempo dispendido anteriormente por alguns colaboradores em outras atividades da empresa.

Nossa principal intenção é conscientizar dos cuidados que toda empresa deve ter, não apenas no tocante a emissão das notas fiscais, mas também com relação a escrituração e guarda dos XMLs.

Ou seja, se a sua empresa não conta com uma ferramenta capaz de fazer a gestão dos XMLs de forma automática, isso precisará ser realizado de forma “manual” para que o seu negócio fique o menos exposto possível as penalidades e multas previstas (é importante frisar que sem a utilização de uma ferramenta desta natureza, capaz de captar e monitorar todos os XMLs diretamente do site da SEFAZ por meio de Certificados Digitais, não há segurança com relação a diversos pontos citados acima).

Fique atento(a)!

Fonte: Rodrigo Ferreira, Artdata Contábil - Cliente SIEG